SEXO COM MUTANTE E A PARAFILIA

O filme de terror da plataforma de streaming acompanha Zosia, que se envolve em uma trama sangrenta numa pequena cidade polonesa. Na continuação, a personagem, que se perde após ser infectada por um meteorito, acredita que Adas é a alma gêmea dela.

Isso leva a uma estranha cena de sexo em SEM CONEXÃO 2. Além da ligação amoroso, Zosia começa a infectar Adas, o transformando em um mutante que tem a mesma forma dela.

No fim desse momento para lá de estranho, Zosia revela o plano dela. Ela quer criar um grupo de mutantes para começar o apocalipse.

A cena poderia ter parado no beijo, o que comprovaria que a história se transformou em uma espécie de conto romântico. Porém, o filme  vai longe demais e mostra até muito para os espectadores da Netflix.

O filme, claro, quer provar que monstros também podem amar. Porém, ainda assim, é um tanto estranho.

Mas, essa cena traz uma discussão bem interessante sobre as parafilias.

Parafilias envolvem a excitação sexual a objetos, situações e/ou objetivos atípicos (p. ex., crianças, cadáveres, animais). Mas algumas atividades sexuais que parecem incomuns para outras pessoas ou profissionais de saúde, não constituem um transtorno parafílico simplesmente por serem incomuns. Pessoas podem ter interesses parafílicos, mas não atender aos critérios para um transtorno parafílico.

Os padrões não convencionais de excitação sexual só são considerados patológicos quando o seguinte se aplica:

  • São intensos e persistentes.
  • Causam sofrimento significativo ou comprometimento do funcionamento social, ocupacional ou de outras áreas importantes ou causam danos ou têm potencial de machucar outros (p. ex., crianças, adultos que não consentem)

Pessoas com transtorno parafílico podem ter a capacidade de intimidade afetiva prejudicada ou não existente, assim como a capacidade de reciprocidades emocional e sexual com um parceiro também pode ser prejudicada ou inexistente. Outros aspectos do ajustamento pessoal e emocional também podem estar prejudicados.

O padrão de excitação sexual perturbado geralmente está muito bem desenvolvido antes da puberdade. Pelo menos 3 processos estão envolvidos:

  • Ansiedade ou traumas emocionais precoces que interferem no desenvolvimento psicossexual normal.
  • O padrão normal de excitação é substituído por outro, algumas vezes por meio de exposição precoce a experiências com carga sexual elevada, o que reforça a experiência pessoal de prazer sexual.
  • O padrão de excitação sexual muitas vezes adquire elementos simbólicos e condicionados (p. ex., um fetiche simboliza o objeto de excitação, mas pode ter sido escolhido porque o fetiche foi acidentalmente associado à curiosidade, ao desejo e à excitação sexual).

E você o que acha?


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

• Developed by the BMM for CRSex•