FANTASIAS SEXUAIS FEMININAS EVOLUEM

Sexo com desconhecidos, trios e envolvimento com personagens famosos são algumas das principais fantasias das mulheres entre os 30 e os 40 anos, revela um estudo

Quanto mais experiência e idade têm as mulheres, mais elaboradas e sofisticadas são as suas fantasias. Esta é uma das conclusões do estudo sobre fantasias e tendências sexuais femininas por idades, necessidades e situações, realizado pela Valérie Tasso, reconhecida sexóloga, investigadora e escritora francesa.

“Uma mulher com experiência tem menos medo de si mesma que uma mulher mais jovem que ainda não acumulou bagagem sexual suficiente ou ainda está a experimentar e não sabe muito bem do que gosta ou não gosta”, explica Valérie Tasso.

Fantasia versus desejo

As mulheres com 20/30 anos têm fantasias muito “genitalizadas” e influenciadas por tudo o que observam ou lêem – por exemplo, cinema, revistas, etc. -, enquanto as fantasias de uma mulher de 50/60 anos se podem apoiar em experiências anteriores “para montar o filme”, explica Valérie Tasso.

Há a destacar o facto de não ser tanto na temática das fantasias sexuais que se notam as diferenças entre uma mulher de 25 e outra de 55 anos mas mais como a mulher desenvolve este tema. Por outro lado, há a sublinhar uma ideia evidenciada por este estudo: uma jovem de 25 anos pode pensar numa fantasia mas, no fundo, o que lhe ocorre é um desejo.

O erotismo de uma jovem de 25 anos apenas vem de “modelos externos”, do que é transmitido à sua volta, desde o exterior, enquanto uma mulher de 55 anos não se deixa influenciar tanto pelo “erotismo inculcado”, este parte de dentro dela própria e não das modas, de que são exemplo as revistas que ensinam a ter um tipo de corpo e o qualificam de “erótico”. Este erotismo “comercializado” influencia com mais facilidade uma jovem de 25 anos. Conclui-se assim que o erotismo não se ensina, é algo que parte da própria pessoa e o que erotiza determinadas mulheres pode não erotizar outras.

É sempre complexo abordar este tema porque, ao ser tabu, nos movimentamos num terreno bastante “escorregadio”. As estatísticas relativamente a esta situação nem sempre são fidedignas, há que reconhecer a biografia de cada mulher para compreender se se atrevem a “confessar” as suas fantasias ou se as “camuflam” com certos desejos.

O sexo não compreende normas e isso é bom mas também o mais complicado e fascinante do Comportamento Sexual Humano. Estabelecer “categorias” é “criar normas”, colocar um espartilho demasiado apertado a uma sexualidade humana demasiado “ampla”. Estabelecer categorias é “homogeneizar” o ser humano em grupos.

As principais fantasias das mulheres entre 30 e os 40 anos incluem ter sexo com desconhecidos, trios e fantasias com personagens famosos. Entre os 40 e 50 anos destacam-se ter sexo em sítios pouco comuns (por exemplo, hospitais), cenários sexuais de outras épocas históricas e fantasias com homens de grande diferença etária, geralmente mais jovens. Ponto comum são a dominação, submissão, relações lésbicas e orgias.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

• Developed by the BMM for CRSex•